Pular para o conteúdo principal

Privilégios e responsabilidades de uma geração

Numa das aulas ministradas na 36ª confraternização da juventude, no templo central em Abreu e Lima, o Pastor Altair Germano intitulou a mensagem com o tema “privilégios e responsabilidades de uma geração de filhos de Deus na realização da sua obra”.

Com base no texto de 1 Crônicas 22:6-13, o pastor afirmou que nenhuma geração concluiu, até então, o que Deus tem como projeto para a humanidade e para o seu povo.

No texto encontramos duas gerações, uma representada por Davi e outra por Salomão. Davi fez o que chegou a sua mão para fazer. Nunca houve tanta conquista em Israel, como no tempo de Davi. Davi fez muitas coisas, e fez com excelência. Davi tinha prazer, alegria e se realizava na realização da obra.

Em um momento ele desejou construir um templo para Deus, e por mais boa vontade que tivesse, aquela obra seria realizada por outra geração, a do seu filho, Salomão.


Davi disse: agora, pois meu filho, o Senhor seja contigo, afim de que prosperes. O Senhor seja contigo afim de que prospere e edifique a casa do Senhor teu Deus, como ele disse ao teu respeito”.


Para que se realize qualquer coisa na obra de Deus, é necessário que o Senhor seja conosco, dó contrário não há a mínima possibilidade de realizarmos. A presença do Senhor é sinônimo de provisão e sustento.
1000 cairão ao teu lado, 10.000 continuarão a cair, por que a presença do Senhor traz segurança, proteção, provisão, direção na realização da sua obra. A presença do Senhor é fonte de graça, de poder, garantia de milagre e do sobrenatural na hora que os recursos humanos falham, garantia de manifestação da sua glória, das mais diversas formas.

É comum e natural, principalmente na vida dos jovens, que os seus talentos e as suas habilidades, logo que são perceptíveis e observadas, passem a ser comentadas no meio da igreja e da liderança. Também é comum que algumas pessoas com base nessa observação meramente natural, já vejam em você um pregador, um pastor, um líder, alguém que vai poder contribuir em determinado departamento de forma significativa. Mas nenhuma dessas afirmações e declarações terá muito, ou valor algum, se antes esse entendimento e idéia ao nosso respeito, não estiverem aliados àquilo que Deus pensou, declarou e determinou sobre nós.

Vai chegar momento na sua vida, que se você não tiver certeza de que foi Deus quem te chamou, você não vai suportar e vai desistir. A convicção sobre uma chamada vinda da parte de Deus é vital para suportarmos situações adversas. Em alguns momentos você se sentirá sozinho como um naufrágio numa ilha, e sentirá a ausência até mesmo daqueles que reconheceram um dom, um ministério e um talento em vossas vidas, e vocês os procurarão e não encontrarão. Mas nessas horas Deus estará no trono, olhando para você e lhe dando convicção de que foi ele quem indicou a tua chamada.

Em um determinado momento, entre tantos outros, Davi aconselha Salomão, dizendo: “sê forte e corajoso, não temas, nem te desanimes. Guardar a palavra. Seguir essas orientações implica muitas vezes em causar desconforto, remar contra a maré, contestar decisões, confrontar sistemas falidos, perder cargos e privilégios. Por isso Davi diz a Salomão, sê forte e corajoso.

Salomão casou com a filha de faraó. O Senhor aparece em sonhos e disse, pede o que quiseres, e ele pediu sabedoria, em seguida ele julga o caso de duas mulheres, o seu reino prospera, é tido como sábio, edifica o templo, edifica palácios reais, traz a arca para o templo, recebe a visita da rainha de Sabá, e Salomão continuou fazendo obras.  Além da filha de faraó, Salomão amou mulheres estrangeiras, totalizando mais de 1000, que lhe perverteram o coração.

Um abismo chama outro abismo, e os vários casamentos resultaram na idolatria e conseqüentemente na ira de Deus contra Salomão.

Quando observamos os últimos dias de Salomão, não há nenhum indicio de perdas materiais, de cargos, prestígios e de coisas. Salomão se envolve com tudo isso, mas as coisas no reino parecem que continuam estáveis, mas só parece. Tudo parecia ir bem, mas não ia. E Deus se revela e se indigna, mas com paciência, e resolve não agir punitivamente ainda nos dias de Salomão, porém agiria nos dias do seu filho.

O nosso crescimento, nosso templos, nossos gloriosos batismos, nosso prestigio, muitos crentes nas universidades, não sinaliza como de fato estamos, mas é o compromisso com a palavra dele que é capaz de nos sinalizar sobre isso. Se Deus não intervier nessa geração, ele o fará na próxima, mas ele não nos deixará impune.

Salomão é sempre lembrado por tantas coisas, mas é lembrado, acima de tudo, pelo seu fracasso.

Como seremos lembrados pelas próximas gerações? Os nossos pecados podem ter sérias conseqüências para as gerações futuras.

Como você prefere ser lembrado quando a sua geração partir?

Mais lidas

Cuidado para não perder o foco...

Você já perdeu o foco?

Bom, a maioria das pessoas, pelo menos uma vez na vida, já perderam o foco de um objetivo, um sonho, uma meta. Isso é normal, afinal de contas, vivemos sob influências externas de pessoas e situações que podem nos desviar de propósitos que nós traçamos ou pior ainda, de propósitos que Deus traçou para nossas vidas. Sempre tenho em mente que o foco de Deus para vida de todo Cristão são suas promessas. Desde promessas coletivas, como a da salvação, uma morada no céu, até promessas mais pessoais e íntimas, que são feitas de pai pra filho. Mas o que acontece quando perdemos o foco? Isso pode ser muito perigoso. Em um trecho da palavra de Deus, pude observar duas atitudes distintas em uma mesma Situação.A passagem fica em Números 13 dos versículos 27 ao 31.“27E contaram-lhe, e disseram: Fomos à terra a que nos enviaste; e verdadeiramente mana leite e mel, e este é o seu fruto.28O povo, porém, que habita nessa terra é poderoso, e as cidades fortificadas e mui grandes; …

Portas fechadas, aí vem Deus

E oito dias depois estavam outra vez os seus discípulos DENTRO, E COM ELES TOMÉ. Chegou Jesus, ESTANDO AS PORTAS FECHADAS, e apresentou-se no meio, e disse: PAZ SEJA CONVOSCO. João 20:26
A passagem bíblica relata que oito dias após a morte de Jesus, tendo ele ressuscitado, apareceu aos discípulos, e a Bíblia faz questão de dizer que Tomé estava presente e que as portas estavam fechadas. Por um momento pensamos que a Bíblia poderia ter dito “e Ele bateu na porta e alguém a abriu”... ou “Ele mesmo abriu a porta”. Nada na Bíblia foi escrito por acaso. Há coisas que aconteceram no passado para servir de lição para o tempo presente.
Os discípulos não acreditavam que o mestre havia ressuscitado. Eles não tinha como abrir a porta por que lá fora estavam os soldados romanos que procuravam seguidores de Cristo, portanto eles estavam foragidos. Se alguém batesse na porta eles certamente não abririam. O seu líder havia morrido e para eles há esperança havia ido embora. A história do calvário naque…

Quem é você quando ninguém está olhando?

Intimidade gera santidade; santidade gera autoridade; e autoridade promove conquistas. 


Portanto, cingindo os lombos do vosso entendimento, sede sóbrios, e esperai inteiramsa[ente na graça que se vos ofereceu na revelação de Jesus Cristo; Como filhos obedientes, não vos conformando com as concupiscências que antes havia em vossa ignorância; Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver; Porquanto está escrito: Sede santos, porque eu sou santo. 
1 Pedro 1:13-16 


A santidade é um desafio dos nosso dias e está diretamente ligada ao caráter.
Mas, o que é caráter? Caráter é o que você é quando ninguém está olhando.
É muito fácil ser uma benção na plataforma, no palco, no púlpito, na frente do seu pastor; Se você é uma benção na vida de quem mora debaixo do mesmo teto que você, se você dá bom testemunho de Cristo para aqueles que te vêem nos bons e nos maus dias, na alegria e na dor, na saúde e na doença, então você é uma benção de verdade! É …

A Teologia do cachorro e do gato

Este é o título de um livro, de Bob Sjogren e Gerald Robison, publicado no Brasil pela Missão Horizontes. Estranho, não é?

A Teologia do Cachorro e do Gato; não parece ser obra séria, pelo título. Mas é. É seriíssima. Os autores começam com uma anedota sobre cachorros e gatos.

O CACHORRO DIZ: VOCÊ ME ACARICIA,ME ALIMENTA, ME ABRIGA, ME AMA. VOCÊ DEVE SER DEUS.

O GATO DIZ: VOCÊ ME ACARICIA, VOCÊ ME ALIMENTA, ME ABRIGA, ME AMA, EU DEVO SER DEUS.

A partir daqui os dois mostram as diferenças entre cristão tipo cachorro e cristãos tipo gato.

O cachorro segue por amor, é dedicado, engaja-se, envolve a vida, entrega-se.

O gato quer as coisas boas, mas sem compromisso. Quer promessas, cuidados, atenção de Deus, da igreja, do pastor. Não se preocupa em ser útil, um instrumento nas mãos de Deus. Seu universo é ele mesmo. Algo interessante que dizem os autores e, acredito ser verdade, que os cachorros têm donos e os gatos têm funcionários.

Uma das boas observações do livro é no tocante ao senhorio de D…

O Cristão pode mentir diante de uma necessidade?

Você, secretária, recebe uma ligação, e o seu chefe, mesmo estando no escritório, manda dizer que não está!  Você, porteiro, que recebe ordem para informar que determinado morador não está em seu apartamento, mesmo ele estando! E quando o funcionário da empresa de serviços (água, luz, gás, telefone, internet, tv...)  chega no estabelecimento comercial, com ordem para suspender o serviço (corte), e você atende e garante que já está tudo pago (mesmo não estando), apenas para ganhar tempo! Detalhe: se não cumprir as orientações para mentir,  corre o risco de perder o emprego.
E ai, hein?! E se um desses for um cristão?
Jesus disse que o diabo é o pai da mentira (João 8:44), mas vejo pessoas de destaque na Bíblia, ditos como grandes homens de Deus, que mentiam. Abraão mentiu ao rei quando disse que sua mulher era sua irmã (Gênesis 12:18,19). Jeremias também mentiu aos oficiais do reino, a mando do rei (Jeremias 38:26,27). E Jacó, que sendo mentiroso e aproveitador, enganou a seu pai roubando…