Pular para o conteúdo principal

Vencendo o espírito de miséria

“Pois dizes: Estou rico e abastado e não preciso de coisa alguma, e nem sabes que tu és infeliz, sim, miserável, pobre, cego e nu. Aconselho-te que de mim compres ouro refinado pelo fogo para te enriqueceres, vestiduras brancas para te vestires, a fim de que não seja manifesta a vergonha da tua nudez, e colírio para ungires os olhos, a fim de que vejas. Eu repreendo e disciplino a quantos amo. Sê, pois, zeloso e arrepende-te. Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele, comigo” (Ap 3. 17-20)

A igreja de Laodicéia era rica e próspera, porém a vemos no texto de Apocalipse sendo repreendida pelo Senhor Jesus. Muitas pessoas têm a riqueza como parâmetro da bênção de Deus, porém, a verdade bíblica é que tanto a prosperidade quanto a miséria são condições espirituais. Laocidicéia tinha dinheiro e riquezas no plano natural, mas espiritualmente foi considerada miserável por Jesus. Jesus viveu uma vida próspera em seus anos na Terra, embora não ostentasse sua condição de riqueza. Nasceu em uma estrebaria não porque seus pais não tinham como pagar uma pensão, mas porque todas elas estavam cheias. Ele mantinha relações sociais em círculos de pessoas abastadas, como Nicodemos e a mulher de Cusa (procurador de Herodes), que prestava assistência com seus bens (Lc 8.3). Era uma artí‑fice (profissional liberal em sua obra). Os soldados romanos (classe social dominante) disputaram entre si para terem sua capa, pois era de excelente qualidade. Seu túmulo era o de homem rico.

Através do exemplo de dois homens, Ló e Abraão, vemos que a riqueza é uma condição espiritual. Embora ambos tivessem uma boa condição financeira, Abraão era próspero em todas as áreas, enquanto Ló era dominado pelo espírito da miséria.

Como age o espírito de miséria

1º) Ele enche os nossos olhos, a fim de que fiquemos dominados e não busquemos uma orientação vinda de Deus. (Gn 13:5-12). Aquele que cobiça é miserável, pois é volúvel e facilmente envolvido pelas emoções. Ao fazer a sua escolha primeiro ao invés de dar a Abraão a prioridade, Ló demonstrou o quanto a miséria dominava a sua vida e o tornava egoísta. Por fim, aquilo que escolheu foi destruído por Deus. O espírito de miséria quer roubar sua vida através da precipitação e da concupiscência dos olhos, mas Deus tem o melhor no tempo dele.

2º) Ele nos paralisa quando precisamos assumir uma posição para progredir. (Gn 19.1, 12-16). A situação era de condenação e juízo da parte de Deus, e o momento era de crise e decisão. Entretanto, os anjos chegam a Sodoma e encontra Ló sentado confortavelmente à porta da cidade, uma posição dos homens importantes e que julgavam as questões do povo. Aquele era o momento de agir, mas Ló estava miseravelmente desligado da realidade espiritual e do mover de Deus. O espírito de miséria nos torna apáticos e até preguiçosos quando mais precisamos agir para crescer.

3º) Faz com que nos contentemos com menos quando Deus preparou mais, então estacionamos e somos roubados. (Gn 17.19-22,30). O pedido de Ló foi o de habitar numa cidade pequena, pois era assim que se enxergava. O espírito de miséria paralisava sua vida e o prendia a valores do passado, a ponto de fazê-lo se contentar a habitar no meio do caminho, em cavernas, onde ocorreu a destruição total de seus valores. 4º) Por ‑fim nos conduz à miséria, quando passamos a nos contentar com qualquer coisa. (Gn 19.30-38). A miséria tira o nosso discernimento, cria confusão e nos leva a agir fora da vontade do Senhor, trazendo terríveis consequências às nossas vidas. As filhas de Ló se deitaram com o próprio pai, a ‑fim de terem descendência. O pai, por sua vez, estava tão bêbado que nem percebeu que participava daquela abominação. Quando estamos desesperados, o espírito de miséria nos leva a fazer coisas que normalmente não faríamos, pois gera descontrole e inversão de valores.

Para ser liberto do espírito da miséria, você precisa tomar algumas atitudes importantes. Eis alguns passos que trarão liberdade à sua vida:

1º) Ser humilde e crer no cuidado de Deus para com sua vida. Não aceite a ansiedade que o inimigo quer lançar em seu coração (Gn 13.14-18). Naquele momento, Abraão devia começar a percorrer a Terra sozinho, em direção a um lugar que ele não conhecia. Contudo, isso não o abateu, pois ele sabia que Deus cuidaria do seu futuro. Você pode estar atravessando dficuldades econômicas, mas o cuidado de Deus não se retirou de sua vida, ao contrário, Ele está preparando o momento da virada. Seja humilde, passe por esse momento sendo fiel ao Senhor e confiando que Ele tem o melhor preparado para você!

2º) Ter uma aliança com Deus em sua vida financeira, e ser fiel a Ele em toda e qualquer situação (Gn 14.17-20). A prosperidade não é uma condição material, mas espiritual. Abraão sabia disso, enquanto Ló não conhecia este segredo da aliança. Tão logo surgiu uma oportunidade, ele se apartou de seu tio e revelou que não honrava alianças, mas agia para o seu próprio benefício. Abraão precisou socorrê-lo diversas vezes, e pôde fazer isso por causa da aliança que mantinha com Deus: ele reconhecia que era Deus quem o prosperava e era fiel, pois em sua primeira vitória naquele lugar consagrou o dízimo ao Senhor. Este é o segredo espiritual para uma vida de conquistas e vitórias: ser fiel no pouco e ser acrescentado cada vez mais pelo Senhor.

3º) Não se precipitar movido por valores materiais, mas saber que do Senhor você receberá sempre o melhor, no Seu tempo. (Gn 14.21-24). Aquele que está dominado pelo espírito de miséria é presa fácil para o inimigo, pois se precipita e aceita coisas fúteis. Mas Abraão sabia quem era o Jeová Jireh, o Deus da provisão. Quando vive com esta certeza, a confiança do Senhor invade a sua vida e você sabe que a sua porção não vem dos homens que manipulam os valores, mas do Senhor que possui os céus e a Terra.

Em Gênesis 18 vemos Abraão interceder por Ló duas vezes, pois suas atitudes de obediência lhe davam uma habilitação espiritual para fazê-lo. Ele demonstra um coração que deseja o melhor para os demais, e sua intervenção salva seu sobrinho. Abraão realmente tinha intimidade com Deus, e esse certamente é o principal motivo de sua prosperidade. Nós também temos um Intercessor Poderoso que deseja o melhor para nós – Jesus Cristo, o Filho de Deus. Vamos entrar com confiança diante dele e escolher o melhor!

Desafio de fé: Liberte-se do espírito da miséria e aprenda a agir para adquirir riquezas naturais e espirituais.

Por: Pr. Marcus Gregório


@ElieLFerreira

Vi no adbras.com.br

Mais lidas

Cuidado para não perder o foco...

Você já perdeu o foco?

Bom, a maioria das pessoas, pelo menos uma vez na vida, já perderam o foco de um objetivo, um sonho, uma meta. Isso é normal, afinal de contas, vivemos sob influências externas de pessoas e situações que podem nos desviar de propósitos que nós traçamos ou pior ainda, de propósitos que Deus traçou para nossas vidas. Sempre tenho em mente que o foco de Deus para vida de todo Cristão são suas promessas. Desde promessas coletivas, como a da salvação, uma morada no céu, até promessas mais pessoais e íntimas, que são feitas de pai pra filho. Mas o que acontece quando perdemos o foco? Isso pode ser muito perigoso. Em um trecho da palavra de Deus, pude observar duas atitudes distintas em uma mesma Situação.A passagem fica em Números 13 dos versículos 27 ao 31.“27E contaram-lhe, e disseram: Fomos à terra a que nos enviaste; e verdadeiramente mana leite e mel, e este é o seu fruto.28O povo, porém, que habita nessa terra é poderoso, e as cidades fortificadas e mui grandes; …

Portas fechadas, aí vem Deus

E oito dias depois estavam outra vez os seus discípulos DENTRO, E COM ELES TOMÉ. Chegou Jesus, ESTANDO AS PORTAS FECHADAS, e apresentou-se no meio, e disse: PAZ SEJA CONVOSCO. João 20:26
A passagem bíblica relata que oito dias após a morte de Jesus, tendo ele ressuscitado, apareceu aos discípulos, e a Bíblia faz questão de dizer que Tomé estava presente e que as portas estavam fechadas. Por um momento pensamos que a Bíblia poderia ter dito “e Ele bateu na porta e alguém a abriu”... ou “Ele mesmo abriu a porta”. Nada na Bíblia foi escrito por acaso. Há coisas que aconteceram no passado para servir de lição para o tempo presente.
Os discípulos não acreditavam que o mestre havia ressuscitado. Eles não tinha como abrir a porta por que lá fora estavam os soldados romanos que procuravam seguidores de Cristo, portanto eles estavam foragidos. Se alguém batesse na porta eles certamente não abririam. O seu líder havia morrido e para eles há esperança havia ido embora. A história do calvário naque…

Quem é você quando ninguém está olhando?

Intimidade gera santidade; santidade gera autoridade; e autoridade promove conquistas. 


Portanto, cingindo os lombos do vosso entendimento, sede sóbrios, e esperai inteiramsa[ente na graça que se vos ofereceu na revelação de Jesus Cristo; Como filhos obedientes, não vos conformando com as concupiscências que antes havia em vossa ignorância; Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver; Porquanto está escrito: Sede santos, porque eu sou santo. 
1 Pedro 1:13-16 


A santidade é um desafio dos nosso dias e está diretamente ligada ao caráter.
Mas, o que é caráter? Caráter é o que você é quando ninguém está olhando.
É muito fácil ser uma benção na plataforma, no palco, no púlpito, na frente do seu pastor; Se você é uma benção na vida de quem mora debaixo do mesmo teto que você, se você dá bom testemunho de Cristo para aqueles que te vêem nos bons e nos maus dias, na alegria e na dor, na saúde e na doença, então você é uma benção de verdade! É …

A Teologia do cachorro e do gato

Este é o título de um livro, de Bob Sjogren e Gerald Robison, publicado no Brasil pela Missão Horizontes. Estranho, não é?

A Teologia do Cachorro e do Gato; não parece ser obra séria, pelo título. Mas é. É seriíssima. Os autores começam com uma anedota sobre cachorros e gatos.

O CACHORRO DIZ: VOCÊ ME ACARICIA,ME ALIMENTA, ME ABRIGA, ME AMA. VOCÊ DEVE SER DEUS.

O GATO DIZ: VOCÊ ME ACARICIA, VOCÊ ME ALIMENTA, ME ABRIGA, ME AMA, EU DEVO SER DEUS.

A partir daqui os dois mostram as diferenças entre cristão tipo cachorro e cristãos tipo gato.

O cachorro segue por amor, é dedicado, engaja-se, envolve a vida, entrega-se.

O gato quer as coisas boas, mas sem compromisso. Quer promessas, cuidados, atenção de Deus, da igreja, do pastor. Não se preocupa em ser útil, um instrumento nas mãos de Deus. Seu universo é ele mesmo. Algo interessante que dizem os autores e, acredito ser verdade, que os cachorros têm donos e os gatos têm funcionários.

Uma das boas observações do livro é no tocante ao senhorio de D…

O Cristão pode mentir diante de uma necessidade?

Você, secretária, recebe uma ligação, e o seu chefe, mesmo estando no escritório, manda dizer que não está!  Você, porteiro, que recebe ordem para informar que determinado morador não está em seu apartamento, mesmo ele estando! E quando o funcionário da empresa de serviços (água, luz, gás, telefone, internet, tv...)  chega no estabelecimento comercial, com ordem para suspender o serviço (corte), e você atende e garante que já está tudo pago (mesmo não estando), apenas para ganhar tempo! Detalhe: se não cumprir as orientações para mentir,  corre o risco de perder o emprego.
E ai, hein?! E se um desses for um cristão?
Jesus disse que o diabo é o pai da mentira (João 8:44), mas vejo pessoas de destaque na Bíblia, ditos como grandes homens de Deus, que mentiam. Abraão mentiu ao rei quando disse que sua mulher era sua irmã (Gênesis 12:18,19). Jeremias também mentiu aos oficiais do reino, a mando do rei (Jeremias 38:26,27). E Jacó, que sendo mentiroso e aproveitador, enganou a seu pai roubando…