Pular para o conteúdo principal

Foi por mim e por você!!!


“Mas ele foi ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e, pelas Suas pisaduras, fomos sarados.” Isaias 53:5

Eu não sei qual a sua crença em Jesus e no amor de Deus que foi revelado através dEsse; mas eu gostaria de lhe apresentar de forma simples e prática o que Deus foi capaz de fazer por Amor a mim e a você – entregar seu único filho para morrer para que tenhamos vida abundante, assim como temos;
Então, tire as crianças do recinto e vem comigo, vamos transportar a nossa imaginação para dentro dessa história real, de amor e sofrimento.


Os sofrimentos físicos e espirituais de Cristo começaram no Getsêmani – “seu suor tornou-se em grandes gotas de sangue.” O único evangelista que relata o fato é um médico, Lucas. E o faz com a precisão dum clínico. O suar sangue, é um fenômeno raríssimo. Se produz em condições excepcionais: para provocá-lo é necessário uma fraqueza física, acompanhada de um abatimento moral violento causado por uma profunda emoção, por um grande medo. O terror, o susto, a angústia terrível de sentir- se carregando todos os pecados dos homens devem ter esmagado Jesus. Tal tensão extrema produz o rompimento das finíssimas veias capilares que estão sob as glândulas sudoríparas, o sangue se mistura ao suor e se concentra sobre a pele, e então escorre por todo o corpo até a terra;

Depois da sua prisão à noite e do abandono pelos discípulos, Jesus é conduzido perante Caifás e ao sinédrio judaico; vedam seu olhos, zombam seguidamente d'Ele, cospem e batem no seu rosto;

De manhã, Jesus, açoitado e exausto, é conduzido através de Jerusalém para ser interrogado por Pilatos. Soltam Barrabás – um dos bandidos mais perigosos daquela época – em troca de Jesus. Em seguida, Jesus é novamente açoitado e entregue para ser crucificado;

No açoitamento romano, a vítima era despida e presa a uma coluna, ou então ele encurvava-se sobre um tronco com as mãos atadas nele. O instrumento de tortura consistia num curto cabo de madeira no qual estavam presas varias tiras de couto com pequenos pedaços de ferro ou osso, presos nas pontas. Os golpes eram aplicados às costas da vítima por dois algozes, um de cada lado da vítima. Os cortes eram tão profundos que apareciam as veias, as artérias, e às vezes, até certos órgãos internos. Muitas vezes a vítima morria durante o açoitamento ou flagelação. A flagelação era uma tortura pavorosa. O fato de Jesus, em certo momento, não poder levar a cruz, deve ter sido por causa do seu horrível sofrimento, resultante desse castigo;

Desamarraram as mãos de Jesus, e o puseram em meio à tropa romana. Os soldados colocam uma capa sobre ele, põem um caniço em sua mão e uma coroa de espinhos na sua cabeça. Os soldados escarnecem d’Ele e batem no seu rosto e na cabeça, fazendo penetrar profundamente os espinhos no couro cabeludo;

Levando a pesa cruz no ombro, Cristo lentamente inicia a caminhada para o Gólgota. O peso da cruz somado ao seu esgotamento físico o faz cair. Esforça-se para levantar-se, porém não consegue. Obrigam a Simão de Cirene a levar a cruz;

No Gólgota, põem a cruz no solo e deitam Jesus sobre ela. Estendem seus braços ao longo dos braços da cruz e pregam um cravo de ferro, quadrado e pesado, que atravessa sua mão (ou punho), primeiro a mão direita e, em seguida, a esquerda. Os cravos penetram também na madeira. A seguir, estendem seus pés e os cravam na cruz, com cravos maiores do que os das mãos;

Agora Jesus, cheio de ferimentos e coberto de sangue, é um espetáculo patético para o povo que assiste o ato. As dores são atrozes em todo o seu corpo, ficando naquela posição horrível, por várias horas; os braços estão afadigados; sente grandes câimbras nos músculos e rasga-se a pelo das Suas costas. Começa outra agonia – uma dor insuportável no peito, causada pela compressão dos fluidos do coração. Sente uma sede abrasadora e está consciente do sofrimento e do escárnio dos que passam junto à cruz;

“Deus meu, por que me desamparaste?” este brado de Cristo assinala o ponto culminante dos Seus sofrimentos pela nossa culpa – e Ele se dá pelas nossas transgressões – aquele que não experimentou o pecado, Deus o fez pecado pela humanidade – Ele morreu abandonado pra que nunca sejamos abandonados;

Cristo profere suas últimas palavras, bradando alto: “está consumado”. Este brado significa o fim dos seus sofrimentos e a consumação da obra da redenção. Foi paga a divida do pecado humano. Feito isso ele faz uma oração final: “Pai, nas Tuas mãos entrego o meu espírito.”



...mas a história não acaba aqui, pois ELE JÁ RESSUSCITOU... mas isso será tema de outra postagem.



Se você já conhece essa história, mas não aceitou o seu ator principal, faça comigo a oração a seguir e deixe-O ser o Senhor da tua vida:

“Senhor Jesus, eu te recebo como o meu único e suficiente Salvador. Perdoa os meus pecados e apaga o meu passado, por que de hoje em diante eu serei uma nova criatura;”




Entre em contato conosco.



Abraços.

Mais lidas

Cuidado para não perder o foco...

Você já perdeu o foco?

Bom, a maioria das pessoas, pelo menos uma vez na vida, já perderam o foco de um objetivo, um sonho, uma meta. Isso é normal, afinal de contas, vivemos sob influências externas de pessoas e situações que podem nos desviar de propósitos que nós traçamos ou pior ainda, de propósitos que Deus traçou para nossas vidas. Sempre tenho em mente que o foco de Deus para vida de todo Cristão são suas promessas. Desde promessas coletivas, como a da salvação, uma morada no céu, até promessas mais pessoais e íntimas, que são feitas de pai pra filho. Mas o que acontece quando perdemos o foco? Isso pode ser muito perigoso. Em um trecho da palavra de Deus, pude observar duas atitudes distintas em uma mesma Situação.A passagem fica em Números 13 dos versículos 27 ao 31.“27E contaram-lhe, e disseram: Fomos à terra a que nos enviaste; e verdadeiramente mana leite e mel, e este é o seu fruto.28O povo, porém, que habita nessa terra é poderoso, e as cidades fortificadas e mui grandes; …

Portas fechadas, aí vem Deus

E oito dias depois estavam outra vez os seus discípulos DENTRO, E COM ELES TOMÉ. Chegou Jesus, ESTANDO AS PORTAS FECHADAS, e apresentou-se no meio, e disse: PAZ SEJA CONVOSCO. João 20:26
A passagem bíblica relata que oito dias após a morte de Jesus, tendo ele ressuscitado, apareceu aos discípulos, e a Bíblia faz questão de dizer que Tomé estava presente e que as portas estavam fechadas. Por um momento pensamos que a Bíblia poderia ter dito “e Ele bateu na porta e alguém a abriu”... ou “Ele mesmo abriu a porta”. Nada na Bíblia foi escrito por acaso. Há coisas que aconteceram no passado para servir de lição para o tempo presente.
Os discípulos não acreditavam que o mestre havia ressuscitado. Eles não tinha como abrir a porta por que lá fora estavam os soldados romanos que procuravam seguidores de Cristo, portanto eles estavam foragidos. Se alguém batesse na porta eles certamente não abririam. O seu líder havia morrido e para eles há esperança havia ido embora. A história do calvário naque…

Quem é você quando ninguém está olhando?

Intimidade gera santidade; santidade gera autoridade; e autoridade promove conquistas. 


Portanto, cingindo os lombos do vosso entendimento, sede sóbrios, e esperai inteiramsa[ente na graça que se vos ofereceu na revelação de Jesus Cristo; Como filhos obedientes, não vos conformando com as concupiscências que antes havia em vossa ignorância; Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver; Porquanto está escrito: Sede santos, porque eu sou santo. 
1 Pedro 1:13-16 


A santidade é um desafio dos nosso dias e está diretamente ligada ao caráter.
Mas, o que é caráter? Caráter é o que você é quando ninguém está olhando.
É muito fácil ser uma benção na plataforma, no palco, no púlpito, na frente do seu pastor; Se você é uma benção na vida de quem mora debaixo do mesmo teto que você, se você dá bom testemunho de Cristo para aqueles que te vêem nos bons e nos maus dias, na alegria e na dor, na saúde e na doença, então você é uma benção de verdade! É …

A Teologia do cachorro e do gato

Este é o título de um livro, de Bob Sjogren e Gerald Robison, publicado no Brasil pela Missão Horizontes. Estranho, não é?

A Teologia do Cachorro e do Gato; não parece ser obra séria, pelo título. Mas é. É seriíssima. Os autores começam com uma anedota sobre cachorros e gatos.

O CACHORRO DIZ: VOCÊ ME ACARICIA,ME ALIMENTA, ME ABRIGA, ME AMA. VOCÊ DEVE SER DEUS.

O GATO DIZ: VOCÊ ME ACARICIA, VOCÊ ME ALIMENTA, ME ABRIGA, ME AMA, EU DEVO SER DEUS.

A partir daqui os dois mostram as diferenças entre cristão tipo cachorro e cristãos tipo gato.

O cachorro segue por amor, é dedicado, engaja-se, envolve a vida, entrega-se.

O gato quer as coisas boas, mas sem compromisso. Quer promessas, cuidados, atenção de Deus, da igreja, do pastor. Não se preocupa em ser útil, um instrumento nas mãos de Deus. Seu universo é ele mesmo. Algo interessante que dizem os autores e, acredito ser verdade, que os cachorros têm donos e os gatos têm funcionários.

Uma das boas observações do livro é no tocante ao senhorio de D…

O Cristão pode mentir diante de uma necessidade?

Você, secretária, recebe uma ligação, e o seu chefe, mesmo estando no escritório, manda dizer que não está!  Você, porteiro, que recebe ordem para informar que determinado morador não está em seu apartamento, mesmo ele estando! E quando o funcionário da empresa de serviços (água, luz, gás, telefone, internet, tv...)  chega no estabelecimento comercial, com ordem para suspender o serviço (corte), e você atende e garante que já está tudo pago (mesmo não estando), apenas para ganhar tempo! Detalhe: se não cumprir as orientações para mentir,  corre o risco de perder o emprego.
E ai, hein?! E se um desses for um cristão?
Jesus disse que o diabo é o pai da mentira (João 8:44), mas vejo pessoas de destaque na Bíblia, ditos como grandes homens de Deus, que mentiam. Abraão mentiu ao rei quando disse que sua mulher era sua irmã (Gênesis 12:18,19). Jeremias também mentiu aos oficiais do reino, a mando do rei (Jeremias 38:26,27). E Jacó, que sendo mentiroso e aproveitador, enganou a seu pai roubando…